Depressão Infantil – Definição, Sintomas, Tratamento

Definição, Sintomas e Tratamento da Depressão Infantil

depressao-infantil

depressão pode ter início em qualquer fase ou idade, cerca de 10% da população mundial já teve depressão em algum momento da vida. Alguns autores estimam que 2% a 5% das crianças apresentam depressão. Este alto e preocupante índice nos alerta que quando não propriamente diagnosticada e tratada, a depressão pode desencadear  prejuízos no desenvolvimento emocional, familiar, social, além de dificuldades escolares. Em casos mais graves, pode levar ao isolamento, fator extremamente nocivo para o desenvolvimento da criança. A depressão se caracteriza pela diminuição ou perda do interesse nas atividades, tristeza, redução da energia, além de vários sintomas físicos como insônia e perda de peso; e cognitivos como diminuição da atenção e memória. No caso de crianças e adolescentes a tristeza pode não ser tão evidente, e a sintoma matologia ser marcarada pela irritabilidade e impulsividade, de acordo com o período de desenvolvimento. Os conceitos de sintomas são comparáveis, no entanto d ependendo da idade, as crianças podem apresentar sintomas diferentes apesar de persistirem os mesmos sinais básicos como: sofrimento emocional, inibição psíquica global e estreitamento do campo vivencial. As crianças menores quando ainda não possuem habilidade de expressar suas verdadeiras emoções, podem apresentar mudanças de comportamento tanto no sentido da hiperatividade, como da apatia. Quanto maiores são as crianças, mais parecidos os sintomas com os dos adultos.  Mudança de humor significativa irritado ou depressivo.  Perda do interesse ou prazer por brincar, Aumento ou redução da energia. Aumento da sensibilidade (irritação ou choro fácil). Condutas agressivas e anti-sociais. Problemas de socialização. Sentimento de rejeição. Ansiedade. Atrasos no desenvolvimento psicomotor e linguístico. Negativismo e Pessimismo. Auto-depreciação. Queda no rendimento escolar (diminuição da atenção, memória, raciocínio ou lentidão psicomotora). Cansaço, fadiga. Perturbações somáticas como: Enurese e encoprese (urina ou defeca na cama),  Perda ou aumento de apetite e conseqüentemente peso,Distúrbios do sono Dores e sintomas físicos sem causa determinada: cefaléias, lombalgia, dor nas pernas, náuseas, vômitos, cólicas intestinais, vista escura, tonturas. A criança depressiva não precisa apresentar todos os sintomas listados acima, mas deve satisfazer pelo menos 5 ou mais dos sintomas durante cerca de 2 semanas consecutivas. Tratamento o reconhecimento das manifestações iniciais da depressão favorece o tratamento, pois possibilita o melhor prognóstico e a prevenção de outros problemas associados. Como a depressão interfere diretamente no desenvolvimento infantil, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado ainda na fase inicial da vida são muito importantes, já que as repercussões da doença são graves e sérias. O tratamento na maioria dos casos envolve a psicoterapia e a orientação familiar, em casos mais graves, a introdução de medicação apropriada pode ser recomendada. Assim, ao suspeitar que uma criança esteja em depressão, não hesite em procurar um especialista para o diagnóstico e o estabelecimento do plano de tratamento. Os profissionais que devem ser procurados são incialmente o pediatra, e em seguida a opinião de um especialista em saúde mental como o psiquiatra e o psicólogo infantil.

Veja Mais:  Bermuda Cyclone - Preço, Comprar, Modelos

Mais Dicas Femininas 2018

Veja Mais:  Chá de Lichia - Para que serve, Benefícios, Como Fazer


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *